Durango Duarte | Empreendedor

Durango
Duarte

Empreendedor

Durango Duarte é empresário, publicitário, escritor e pesquisador. É Diretor-Presidente do Instituto Durango Duarte e CEO das empresas #PESQUISA365 e The Voice.

Empresas e Projetos

Pesquisa 365

Criada na década de 1990 com o nome de Perspectiva, a #Pesquisa365 sempre se destacou pela excelência nas pesquisas de mercado, opinião e eleitoral, entendendo e captando fielmente sentimentos e pensamentos da população do Norte do Brasil.

The Voice

A The Voice é uma empresa de Mídia Digital Out of Home (MDOOH) fundada no ano de 2009 em Manaus/AM. Oferecemos espaços publicitários para veiculação de comerciais em mídia eletrônica, nos painéis de LED instalados em pontos de grande fluxo.

Blog do Durango

Um blog com os comentários de Durango Duarte sobre o cenário político local e as passagens históricas de Manaus e do Amazonas. Um portal com inúmeros serviços online, como emissões de 2ª via, certidões, validação de documentos, entre outros.

Instituto Durango Duarte

O Instituto Durango Duarte – IDD é especializado nas áreas de Ciência Política e de História Contemporânea do Amazonas e do Brasil. Gerencia e sistematiza fontes secundárias e possui um dos maiores acervos de jornais digitalizados do Amazonas.


Livros

  • José Osterne de Figueiredo

    Publicado em 2017

    Nas décadas de 1950 e 1960, a cidade de Manaus foi aterrorizada por uma série de assassinatos que tinham sempre como denominador comum a presença de um personagem: o comerciante cearense José Osterne de Figueiredo. O primeiro caso foi a morte do biscateiro Anacleto Gama, ocorrido em 1953, seguido pelo assassínio do merceeiro Antônio Dias, em 1954, e finalizando com o estrangulamento do engraxate Walderglace Grangeiro, de 13 anos de idade, em 1968. Todos apresentavam características idênticas no modus operandi do(s) assassino(s), com requintes de sadismo e agressões sexuais, o que levou a se acreditar que existia um serial killer na cidade.

  • A Sétima Arte em Manaus

    Publicado em 2017

    “A Sétima Arte em Manaus” é uma versão revisada, atualizada e ampliada do capítulo sobre cinemas que, originalmente, faz parte do livro “Manaus, entre o passado e o presente”, também de autoria do empresário, publicitário e pesquisador Durango Martins Duarte lançado em 2009. Ele traz a história do cinema na capital amazonense, desde as primeiras salas criadas no final do século XIX, passando pelas chegadas das empresas e das grandes redes, até os festivais realizados na cidade. Esta é a 10ª obra lançada por Durango Duarte e a primeira a ser produzida exclusivamente em formato digital.

  • Crônica de Manaus

    Publicado em 2016

    O livro traz a transcrição de 61 crônicas escritas em 1946 pelo jornalista e radialista Josué Claudio de Souza. Os textos originais foram publicados no periódico amazonense “O Jornal”, na coluna Crônica de Manaus. “Josué Pai”, como era carinhosamente chamado, veio para a capital amazonense em 1942 a pedido do empresário Assis Chateaubriand, para administrar o Jornal do Comércio e a Rádio Baré. Seis anos mais tarde, fundou a Rádio Difusora do Amazonas, onde passou a ler suas crônicas diariamente.

  • DD Charges

    Publicado em 2014

    Compilação de 120 charges publicadas nas redes sociais da Durango Duarte Channel entre abril e julho de 2014, ano de eleições gerais para presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual. O teor crítico e bem-humorado das ilustrações retrata, fielmente, os bastidores da política do Amazonas, especialmente da sucessão estadual daquele ano. Ilustrado por Gusmão Silva, o livro homenageia a liberdade de expressão e o direito de expor os pensamentos por meio do humor e da ironia.

  • Um historiador, alguns fatos inéditos e muitas histórias

    Publicado em 2014

    A história do surgimento de dois importantes logradouros de Manaus, as avenidas Epaminondas e Constantino Nery, suas denominações e fatos importantes ocorridos na segunda metade da década de 1920 na capital amazonense, tudo descrito com maestria pelo jornalista e escritor João Batista de Faria e Sousa em seus artigos publicados no Diário Oficial do Estado, reunidos e transcritos nesta obra. Entre os assuntos, a tentativa de golpe militar contra o governador Eduardo Ribeiro, no fim do século XIX.

  • Caso Delmo: O Crime Mais Famoso de Manaus

    Publicado em 2011

    Num fatídico fevereiro de 1952, um jovem, acusado de assassinato, torna-se, em menos de uma semana, de algoz a vítima. Assim foi o “Caso Delmo”, o crime mais famoso da capital amazonense, cujos fatos desencadeados por aqueles sinistros acontecimentos, que marcaram a Manaus pacata dos anos 1950, têm as suas mais vivas nuances descritas aqui neste livro através das manchetes e notícias dos jornais impressos do grupo Archer Pinto. Na época, a revista “O Cruzeiro” também repercutiu o caso no Brasil.

  • Manaus, Entre o Passado e o Presente

    Publicado em 2009

    Dividido em doze capítulos, o livro “Manaus – entre o passado e o presente” resgata a história do espaço urbano da cidade por meio de algumas das nossas principais praças, monumentos históricos, pontes, portos, igrejas católicas, cemitérios, escolas, universidades, bibliotecas, museus, hotéis e cinemas. Esta obra não possui, essencialmente, a característica de um livro de história, mas sim de um grande guia sobre a “Paris dos Trópicos”, um almanaque que pode ser lido a partir de qualquer página.

  • Informação é Tudo

    Publicado em 2005

    As pesquisas eleitorais são instrumentos de grande importância para se detectar as intenções de voto e indicar quais rumos seguir para se conquistar novos eleitores. Neste livro, Durango Duarte traz os detalhes de como são realizados os estudos eleitorais, utilizando como base as eleições municipais de Manaus em 2004. São abordados os aspectos teóricos, as análises, pesquisas qualitativa e quantitativa, geomarketing, avaliações administrativas e o histórico das eleições anteriores, entre outros.

  • 61 Dias em 1964 – 50 Anos do Golpe Militar

    Publicado em 2014

    Em 2014, o golpe militar de 31 de março de 1964, que instaurou a ditadura no Brasil, completou 50 anos. A relevância e a marca histórica deste evento incentivaram a publicação deste livro com as transcrições dos artigos escritos entre 1º de março e 30 de abril de 1964 por Wilson Figueiredo e Carlos Castello Branco, do “Jornal do Brasil”, Flávio Tavares e Paulo Francis, do “Última Hora”, e Eugênio Gudin, de “O Globo”, alguns dos principais articulistas de política da imprensa brasileira da época.

  • Imprensa Amazonense – Chantagem, Politicagem e Lama

    Publicado em 2015

    Entre as décadas de 1950 e 80, a imprensa escrita manauara viveu momentos de tensão política. Este livro traz três momentos, nesse período, que tomaram conta, diariamente, das manchetes dos jornais locais. O primeiro, em 1958, uma disputa política entre o governador Plínio Coelho e uma parte da imprensa. O segundo, intrigas políticas e baixarias explícitas, tudo via jornais, envolvendo o Movimento Democrático Brasileiro (MDB). E o terceiro, uma batalha entre os jornais “A Notícia” e “A Crítica”.